Emoção ecologicamente correta: Fórmula-E

Formula-E

Uma nova forma de pensar a energia não só no esporte a motor, mas nas cidades. São essas as promessas da Fórmula E, a mais nova categoria de monopostos da Federação Internacional do Automobilismo (FIA). A divisão será a primeira da história a contar com carros que funcionam totalmente a partir da eletricidade.
 

Três brasileiros estão confirmados na categoria: Lucas di Grassi, Bruno Senna e Nelsinho Piquet. Além dos brazucas, a Fórmula-E contará com Nicolas Prost, filho de Alain Prost, na reedição de uma das mais célebres rivalidades da história da Fórmula 1.
 

Confira as principais informações sobre a Fórmula-E:
 

O calendário 2014 da Fórmula-E será composta por 10 etapas, que começam em setembro de 2014 e vão até junho de 2015:
 

Etapa 1: 13/09/2014 – Pequim, China
Etapa 2: 22/11/2014 – Putrajaya, Malásia
Etapa 3: 13/12/2014 – Punta del Este, Uruguai
Etapa 4: 10/01/2015 – Buenos Aires, Argentina
Etapa 5: 14/02/2015 – A definir
Etapa 6: 14/03/2015 – Miami, Estados Unidos
Etapa 7: 04/04/2015 – Long Beach, Estados Unidos
Etapa 8: 09/05/2015 – Monte Carlo, Mônaco
Etapa 9: 30/05/2015 – Berlim, Alemanha
Etapa 10: 27/06/2015 – Londres, Inglaterra
 

As corridas da Fórmula-E serão todas disputadas em circuitos de rua, englobando três eventos: treino (na parte da manhã), treino classificatório (na hora do almoço) e a prova em si (na parte da tarde). Os três ocorrerão no mesmo dia.
 

Treinos classificatórios | Fórmula-E
 

É uma disputa direta pela volta mais rápida e determina a ordem do grid de largada na corrida. A sessão dura 90 minutos, com os pilotos divididos em quatro grupos, com cinco carros cada. Será permitido aos pilotos andarem em sua potência máxima: 200 kw e 270 bhp (pouco mais de 273 cavalos). O competidor que conseguir completar a volta mais rápida larga na pole position e ganha três pontos no campeonato. Somente um carro por piloto poderá ser utilizado nos treinos classificatórios.
 

Corrida | Fórmula-E
 

Na corrida, os pilotos têm direito a fazer uma troca de veículo. Ou seja, com dois carros à disposição, um idêntico ao outro, há apenas um pit stop – que é obrigatório –, por competidor, para que eles pulem de um veículo para outro. Não é permitida a troca de pneus durante essa parada, a menos que o equipamento esteja furado ou muito danificado. Com duração de aproximadamente uma hora, as provas restringem a potência dos carros para 133 kw e 180 bhp, mas os pilotos podem aumentá-la temporariamente durante a disputa através de um dispositivo chamado “Boost Button”.
 

Votação dos fãs determina velocidade extra | Fórmula-E
 

Os torcedores podem ajudar seus pilotos favoritos a ir mais rápido nas provas através de uma votação feita pelo site e redes sociais da Formula E antes das corridas.
 

Os três competidores mais votados ganham, cada um, 5 segundos de “power boost” por carro, período em que eles podem aumentar a potência do monoposto de 170 para 200 kw.
 

Horários GP Pequim, China | Fórmula-E
 

Treinos livres

8h15-9h – Primeiro treino livre (hora local)
10h30-11h – Segundo treino livre (hora local)
 

Treinos de qualificação | Fórmula-E
 

12h-12h10 – Grupo 1 (0h horário Brasília)
12h15 – 12h25 – Grupo 2 (0h15 horário Brasília)
12h30 – 12h40 – Grupo 3 (0h30 horário Brasília)
12h45 – 12h55 – Grupo 4 (0h45 horário Brasília)
 

Anúncio dos vencedores da votação dos fãs – 15h40 | Fórmula-E (3h40 horário Brasília)
 

Corrida – 16h (4h horário Brasília)
 

Equipes | Fórmula-E
 

Dez times, com dois pilotos cada, vão competir na primeira temporada da Fórmula E. Dois pilotos reserva podem também ser inscritos em cada equipe. Confira os 18 competidores confirmados:
 

Amlin Aguri (GBR) – Ketherine Legge (GBR) / Antonio Felix da Costa (POR)
Andretti Autosport (EUA) – Franck Montagny (FRA) / A confirmar
Audi Sport ABT (ALE) – Lucas di Grassi (BRA) / Daniel Abt (ALE)
China Racing (CHI) – Nelson Piquet (BRA / Ho-Pin Tung (HOL)
Dragon Racing (EUA)Mike Conway (ING) / Jerome D’Ambrosio (BEL)
E.Dams Renault (FRA) – Nicolas Prost (FRA) / Sébastien Buemi (SUI)
Mahindra Racing (IND) – Karun Chandhok (IND) / Bruno Senna (BRA)
Trulli (SUI) – Jarno Trulli (ITA) / Michaela Cerruti (ITA)
Venturi Formula E Team (MON) – Nick Heidfeld (ALE) / Stéphane Sarrazin (FRA)
Virgin Racing (GBR) – Jaime Alguersuari (ESP) / Sam Bird (GBR)
 

Pontos, Pontuação | Fórmula-E
 

Serão determinados de acordo com o sistema padrão da FIA:
 

1º lugar = 25 pontos
2º lugar = 18 pontos
3º lugar = 15 pontos
4º lugar = 12 pontos
5º lugar = 10 pontos
6º lugar = 8 pontos
7º lugar = 6 pontos
8º lugar = 4 pontos
9º lugar = 2 pontos
10º lugar = 1 ponto
 

Três pontos adicionais serão dados ao pole position, e outros dois, ao dono da volta mais rápida.
 


 

A fornecedora oficial de pneus para a Fórmula E é a Michelin. A cada piloto será dado um jogo de cinco pneus de frente, e cinco de trás, por evento. Esse conjunto deve durar por todo o evento da corrida – treino, treino classificatório e a etapa em si, já que a troca de pneus não é permitida durante o pit stop – forma, segundo a FIA, de reduzir os custos da categoria.
 

Com 18 milímetros de largura, o equipamento foi desenvolvido exclusivamente para a Fórmula E e vai ser utilizado tanto na chuva quanto em condições secas. Assim, não existem pneus separados para a pista molhada ou seca e tampouco estratégias de pneus.
 

O protótipo de todos os carros que serão utilizados na Fórmula E se chama Spark-Renault SRT_01E. Em um primeiro momento na história da categoria, todos os pilotos e equipes começarão com veículos idênticos em desenvolvimento e tecnologia. A diferença estará em como cada competidor vai utilizar a eficiência da bateria – e, claro, na rapidez de cada um.
 

O carro foi construído e idealizado pela empresa francesa Spark Racing Technology. O chassi é da italiana Dallara, feito de fibra de carbono e alumínio, visando a dar mais leveza à máquina, sem a perda de resistência. A McLaren foi responsável por montar o sistema elétrico, enquanto a bateria é da Williams. Basicamente, o carro funciona como qualquer outro dispositivo elétrico: a bateria fornece a energia necessária e tem um limite de carga, precisando ser recarregada quando acaba. Tudo isso estará conectado a uma caixa de velocidades, fabricada pela Hewland, com um sistema especial de economia de energia. A integração de todos esses aspectos foi planejada pela Renault.
 

A altura do carro é de 1,25 metros, e o peso mínimo deve ser de 888 kg, incluindo o piloto. A bateria pesa 320 kg. Com uma potência máxima de 200 kw e 270 bhp (pouco mais de 273 cavalos), o carro chega a 100km/h em três segundos e pode andar a até 225 km/h.
 

Estima-se que, em média, 68% dos poluentes do ar no mundo sejam oriundos dos gases e substâncias expelidos pelo escapamento dos carros. Segundo pesquisa divulgada pela Organização Mundial da Saúde em 2013, nas áreas urbanas, a porcentagem chega a 90%. O relatório ainda aponta que 3,7 milhões de pessoas com menos de 60 anos morreram por causas relacionadas à poluição.
 

Tendo esses prognósticos preocupantes em mente, os idealizadores da Fórmula E colocaram o compromisso com a sustentabilidade e com a promoção dos conceitos de energia limpa como um dos principais aspectos da categoria. Os dirigentes dizem ter como objetivo mostrar que os carros elétricos podem ter uma performance tão boa ou melhor do que os de motor à combustão. Eles querem melhorar a imagem do veículo no cenário da mobilidade urbana, acabando com o “preconceito” que surgiu em relação ao carro elétrico, de que ele seria muito lento ou teria um design esteticamente prejudicado.
 

A ideia é também de que a Fórmula E sirva como catalisadora da integração entre empresas, cidades e políticas para que o veículo surja como uma alternativa viável ao transporte e passe a ser visto como objeto de desejo dos consumidores. De acordo com um estudo divulgado pela própria categoria, o campeonato pode ajudar a vender mais de 77 milhões de carros elétricos no mundo todo, economizando quatro bilhões barris de petróleo e 25 bilhões de euros em custos com problemas de saúde envolvendo a poluição.
 

Antigos: O primeiro carro a superar a marca de 100km/h era elétrico. Foi dirigido pelo belga Camille Jenatzy em 1899, que o nomeou como “Nunca Satisfeito”. Diz-se que a alcunha foi uma homenagem à mulher do piloto.
 

De outro mundo: Os primeiros carros a rodarem na lua eram elétricos. Eles tinham duas baterias não recarregáveis de 36 volts cada, e ainda há três exemplares lá em cima. Os veículos enviados a Marte para pesquisas funcionam a partir de baterias de lítio semelhantes às que serão utilizadas na Fórmula E.
 

As estrelas o adoram: Celebridades como George Clooney, Scarlett Johansson, Tom Hanks e Leonardo di Caprio são proprietários de carros elétricos.
 

Eles podem ser muito, muito rápidos: o recorde de velocidade é de 494 km/h. O Buckeyebullet 2.5, construído numa parceria entre a Venturi e a Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, atingiu o número em 2010, e a nova versão do veículo está sendo preparada para chegar aos 643 km/h ainda este ano.
 

Superpoderosos: a potência produzida pelas baterias dos carros da Fórmula E poderiam ser utilizadas para carregar um iPhone por 100 000 dias, um equivalente a 274 anos.
 

Salvam vidas: a OMS estima que, ao todo, 70 milhões de pessoas morram por causas que têm relação com a poluição do ar – veículos elétricos não expelem nenhum tipo de resíduo.
 

– São mais baratos para manter: Na Europa, recarregar totalmente um carro elétrico custa aproximadamente R$ 8. Não é nem preciso comparar com os preços para reabastecer os carros à combustão com álcool ou gasolina.
 

Fonte e mais informações sobre a Fórmula-E no site da Fox Sports
 

[update 14/09/2014 – GP da China 2014]
 
GP da China tem acidente incrível e vitória de Di Grassi
 

Logo na largada, Sébastien Buemi, Michela Cerruti e Ho-Pin Tung tiveram que trocar o câmbio e foram punidos com perdas de posição no grid. Na volta de apresentação, Jarno Trulli e Stéphane Sarrazin também tiveram problemas com seus carros. Nicolas Prost largou na primeira posição, seguido por Di Grassi e Daniel Abt.
 

Na última volta, aconteceu um acidente impressionante, e beneficiou Di Grassi. Heidfeld tentou ultrapassar Prost e o alemão se deu mal e acabou capotando o veículo (o francês jogou o carro pra cima de Nick Heidfeld), que voou na pista. Sem lesões, o alemão foi tirar satisfação com Prost por conta da manobra. Lucas Di Grassi, que não tinha nada ver com isso, venceu a prova. Franck Montagny e Sam Bird completaram o pódio. Nelsinho Piquet terminou na 9ª colocação e Bruno Senna abandonou na segunda volta por um problema na suspensão do carro.
 

Confira o video assustador entre Nicolas Prost e Nick Heidfeld na última volta do GP da China da Formula E:
 


Fonte: Ayrton Senna Live Fan Page

Gostou do Post?
Dê um CURTIR, COMPARTILHE e faça um COMENTÁRIO: