Saiba tudo sobre a vida e carreira de Ronaldo, o Fenômeno

Ronaldo Nazário | Fenômeno

O esporte mais popular do mundo perdeu, esta semana, um de seus gênios: Ronaldo Luiz Nazário de Lima – ou simplesmente Ronaldo, o Fenômeno.

Aos 34 anos, Ronaldo deixa a carreira nos campos com golaços, lances de gênio, polêmicas e confusões. Mas acima de tudo, o fenomenal atacante que superou a infância humilde e os problemas no joelho marca sua carreira de quase duas décadas com a superação de obstáculos. E que buscou títulos até o fim.

Saiba tudo sobre a vida e carreira de Ronaldo, o Fenômeno, aqui no Criativo de Galochas.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Infância e carreira

Ronaldo Nazário | Fenômeno



Ronaldo teve uma infância pobre, embora não miserável. Apaixonado por futebol, costumava matar aulas em Bento Ribeiro para dançar no clube Valqueire Tênis Clube, perto de sua casa. O jogo rápido em uma quadra pequena ajudou a desenvolver uma técnica e controle de bola como nenhum outro.

Chegou a tentar treinar no Flamengo, mas por não ter dinheiro para pagar as quatro conduções até a sede do time, foi parar no São Cristóvão. Além de ser mais perto de sua casa, o próprio clube lhe deu dinheiro para o transporte.

Aos 14 anos, teve seu passe comprado por US$ 7.500. O jovem, que não conseguiu treinar no Flamengo, seria “perdido” por outros dois grandes clubes, Botafogo e São Paulo: para o alvinegro, o emprésario quis doar 50% do passe do jovem, que teria uma boa vitrine. Com a negativa, Ronaldo foi oferecido por 25 mil reais ao tricolo, que quis pagar 15 mil.

Jairzinho o viu no São Cristóvão e pagou dez mil dólares pelo menino. Revendeu-o para uma ex-equipe sua, o Cruzeiro. Em 1993, com 16 anos, assinou o seu primeiro contrato profissional, com o Cruzeiro.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Seu primeiro gol pelo time profissional foi marcado em amistoso contra a equipe portuguesa d’Os Belenenses, cuja torcida o aplaudiu de pé ao fim da partida. Voltou da excursão por Portugal despertando interesses italianos, recebendo a primeira sondagem da Internazionale de Milão, recusada mesmo com proposta de 500 mil dólares – uma valorização de 1000% do seu passe em cinco meses. Já a primeira exibição em rede nacional de televisão foi em 7 de setembro daquele ano, em um jogo do seu clube, Cruzeiro, contra o Corinthians.

Com 59 partidas disputadas pelo clube mineiro, Ronaldo marcou 57 gols. Em uma de suas memoráveis partidas, o atacante marcou 5 gols contra o Bahia, humilhando o celebrado goleiro adversário, o uruguaio Rodolfo Rodríguez, que perdeu a bola para ele em um dos gols.

Tantas grandes atuações deram ao jogador de 17 anos a vaga de mais jovem atleta integrante da seleção nacional que ganhou a Copa do Mundo de 1994. Ele ficou no banco de reservas durante toda a competição, mas as suas qualidades não foram ignoradas pelos clubes europeus, e logo após a Copa do Mundo ele assinou com o PSV Eindhoven da Holanda.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Conquistando a Europa

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Em 1994 no PSV Eindhoven, da Holanda, mesmo sem dominar a língua, Ronaldo foi artilheiro com 30 gols – doze a mais que o rival criado pela imprensa para ele, Patrick Kluivert, jogador do Ajax. O Ajax, cujo time seria campeão da Liga dos Campeões da UEFA, acabaria campeão também da HOlanda – o PSV terminou em terceiro.

O sucesso continuou quando Ronaldo marcou 66 gols em 71 partidas, ajudando o PSV a ganhar a Copa da Holanda em 1995. Ronaldo também foi artilheiro do Campeonato Holandês nessa temporada. Ainda em 1995, seus primeiros problemas no joelho começaram a se manifestar.

No meio de 1996, Ronaldo transferiu-se para o Barcelona, da Espanha, por 20 milhões de dólares, para preencher a vaga deixada por outro atacante brasileiro, Romário. Em dez meses de Barcelona, Ronaldo marcou 34 gols em 37 jogos e conquistou a Copa do Rei, a Supercopa da Espanha e a Re-Copa da Europa. Foi também na Espanha que Ronaldo criou a sua comemoração de avião. Com todos os méritos, Ronaldo foi eleito o melhor jogador do mundo em 1996.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

A temporada 1996/97, sua única pelo clube catalão, encerrou-se sem o título espanhol, ganhado pelo rival Real Madrid. Ainda assim, Ronaldo, artilheiro do Espanhol com 34 gols em 37 jogos, levantou a Copa do Rei e a Recopa Europeia, com gol dele na decisão contra o Paris Saint-Germain. Feliz na Catalunha, foi com espanto que divulgou-se que a Internazionale finalmente conseguira acertar com ele, pagando a multa rescisória de 32 milhões de dólares; a razão teria sido a negação do presidente blaugrana Josep Lluis Núñez em aumentar o salário do atacante.

A Internacionale de Milão não ganhava o Campeonato Italiano havia sete anos e Ronaldo, usando a camisa 10, não decepcionou o clube: encerrou o ano de 1997 com quatorze gols em dezenove jogos, e novamente eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA. Ele, agora Il Fenomeno, recebeu também a Bola de Ouro da France Football.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Na Inter, Ronaldo continou a fazer seus gols e terminaria o campeonato na vice-artilharia, com 25, dois a menos que o alemão Oliver Bierhoff, mas sendo o estrangeiro que mais gols fez em sua temporada de estreia na Serie A. Entretanto, o título seria polemicamente perdido para a arquirrival Juventus, em um confronto direto em que um pênalti não-marcado de Mark Iuliano sobre ele repercutiu por semanas no país. 1997/98 veria como consolação o título da Copa da UEFA.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Tragédia da Copa do Mundo

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Em 1998, Ronaldo era a maior estrela da seleção brasileira que foi para a Copa do Mundo na França defender seu título. Ronaldo anotou quatro gols no torneio, mas o que realmente marcou a sua participação na competição não foram os gols.

12 de Julho de 1998 é um dia que dificilmente será esquecido por Ronaldo e seus fãs. Poucas horas antes da final da Copa do Mundo e da chance de erguer o troféu novamente ocorreu um fato dramático, Ronaldo sofreu uma ainda misteriosa convulsão. O técnico brasileiro Mario Zagallo insistia em começar o jogo com Ronaldo em campo, e uma atordoada e irreconhecível seleção brasileira foi facilmente derrotado por 3 a 0 pela França de Zidane.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Primeira lesão e a volta por cima

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Em novembro de 1999, Ronaldo sofreu uma contusão no joelho durante a partida entre Inter de Milão e Lecce. Cinco meses depois, ele retornou contra a Lazio, e apenas 7 minutos depois, machucou o mesmo joelho novamente, porém de uma forma muito mais grave, e dessa vez poderia ficar de fora do futebol por até 1 ano e 5 meses. Para muitos críticos, esse era o fim do Fenômeno. Ele tinha apenas 24 anos na época.

O técnico Luis Felipe Scolari surpreendeu muitos críticos quando em 2002 decidiu convocar Ronaldo para a seleção que iria viajar para a Copa do Mundo da Coréia-Japão. Muitos preferiam ver Romário como o atacante do time, e consideravam Ronaldo fora de forma e acabado para o futebol.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Durante a Copa, Ronaldo provou ao mundo o contrário. Com oito gols no torneio, ele não só se tornou o artilheiro como também ajudou seu time a conquistar a sua quinta Copa do Mundo. O Fenômeno estava de volta!

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Real Madrid

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Novamente eleito o melhor jogador do mundo no ano de 2002, Ronaldo se viu em uma polêmica transferência para o Real Madrid. A transação custou cerca de 39 milhões de Euros aos cofres dos Merengues. Lá jogou com Zidane, e juntos ajudaram o time a conquistar o Campeonato Espanhol, com Ronaldo sendo o artilheiro da competição.

A próxima temporada não foi boa para o Real Madrid. O time contava agora com Roberto Carlos, Raul, Luis Figo, David Beckham, Ronaldo e Zidane como estrelas, mas os “Galácticos” falharam na tentativa de conquistar qualquer título, e algumas contusões musculares acabaram abalando o relacionamento entre Ronaldo e o clube. Mesmo com todos os problemas, o Fenômeno disputou 127 patidas pelo Real Madrid e marcou 83 gols.

A Copa do Mundo de 2006 foi marcante para Ronaldo. Mesmo com o Brasil não passando das quartas-de-final ao ser derrotado pela França por 1 a 0. Os três gols de Ronaldo na competição deram a ele o título de maior artilheiro de todos os tempos em Copas do Mundo, com um total de 15 gols em 4 participações.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Milan e o novo drama

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Em Janeiro de 2007, Ronaldo começou a negociar sua transferência para o Milan, mas o Real Madrid não queria liberar o atacante até o final de seu contrato. Após algumas semanas de conversas com os diretores do Real, um acordo foi alcançado. Ronaldo concluiu a sua transferência e recebeu a camisa de número 99.

Os primeiros meses em Milão foram ótimos para Ronaldo. Em seu segundo jogo pelo Milan, ele marcou dois gols e deu assistência para um terceiro na vitória de seu time sobre o Siena por 4 a 3. Parecia que Ronaldo seria o substituto ideal para o ucraniano Shevchenko, que havia sido negociado com o Chelsea, e o brasileiro Ricardo Oliveira, que não produziu o esperado.

Mas as coisas começaram a dar errado quando no aquecimento para o jogo contra o Benfica, Ronaldo sofreu uma contusão muscular. A contusão causou preocupação ao clube italiano, e provocou um interesse do Flamengo em contratar Ronaldo. O jogador é um torcedor declarado do Rubro-negro carioca e sua negociação com o clube parecia concretizada, quando o Milan confirmou que renovaria o contrato com Ronaldo até junho de 2008.

No dia 12 de janeiro de 2008, Ronaldo jogou uma partida memorável, e junto com Kaká e a nova estrela Alexandre Pato, ajudaram o Milan a bater o Napoli por 5 a 2. Ronaldo marcou dois gols na partida. Mas um mês depois, em uma partida contra o Livorno. O Fenômeno encarou o seu pior pesadelo novamente. Uma ruptura no tendão patelar do joelho esquerdo, a mesma contusão que Ronaldo teve em 1999 e 2000 quando atuava pela Inter de Milão.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Corinthians

Ronaldo Nazário | Fenômeno

A princípio, o interesse do Corinthians na contratação de Ronaldo foi tratado como algo impossível no Parque São Jorge. No dia 9 de Dezembro a diretoria do Corinthians anunciou a contratação de Ronaldo para 2009.

Depois de quase dois meses de treinos intensos e algumas polêmicas, o jogador estreou pela equipe num jogo em Itumbiara, Goiás, pela Copa do Brasil. Jogou poucos minutos e não marcou gols.

Dias depois, no entanto, no dia 8 de março de 2009, em Presidente Prudente, Ronaldo fez história de novo ao entrar contra o Palmeiras no clássico, quando o Corinthians perdia por 1 x 0. Fez quatro boas jogadas incluindo o gol, de cabeça, aos 47 minutos, que decretou o empate para delírio da torcida corintiana.

Nesta campanha do Corinthians no Campeonato Paulista, Ronaldo mostrou-se um dos principais jogadores da equipe, mesmo muito acima do seu peso ideal, marcou oito gols nas dez partidas que disputou, onde o Corinthians sagrou-se campeão do Paulistão daquele ano. Ainda neste mesmo ano, foi fundamental para o título da Copa do Brasil, marcando um gol na partida de ida da decisão, contra o Internacional, e garantindo a vaga para a Copa Libertadores da América do ano seguinte. Finalizou sua primeira temporada no Timão com um total de 23 gols, sendo 12 deles pelo Campeonato Brasileiro.

O ano de 2010 não foi tão bom para Ronaldo. Em má forma e sofrendo com seguidas lesões, o Fenômeno entrou em campo poucas vezes naquele ano e viu o Corinthians ser eliminado pelo Flamengo na Libertadores, principal ambição do clube no ano de seu centenário.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Aposentadoria

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Após a desclassificação precoce na Copa Libertadores da América de 2011, Ronaldo não conseguiu mais suportar suas dores físicas, e decidiu anunciar oficialmente a sua aposentadoria em 14 de fevereiro de 2011, numa coletiva de imprensa. Segundo ele, sua aposentadoria se deu pelo fato de estar enfrentando seguidas lesões, inclusive revelando que sofria hipotireoidismo, um disturbio metabólico que desacelera o metabolismo e dificulta a perda de peso.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Vida Pessoal

A vida pessoal de Ronaldo merece um capítulo à parte. Em 1999, Ronaldo casou com Milene Domingues, famosa por sua habilidade com a bola. Logo em 2000 nasceu seu filho, Ronald e em 2003 anunciaram o divórcio. Rumores diziam que traições e uma agitada vida noturna causaram o final do casamento.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Em 2004 tornou público seu relacionamento com a modelo Daniella Cicarelli. O casamento aconteceu no luxuoso Castelo de Chantilly, nos arredores de Paris, no dia 14 de fevereiro de 2005. Mas desta vez o conto de fadas não durou menos de três meses. Novamente os rumores de traição surgiram.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

A lista de mulheres maravilhosas continuou quando a supermodelo Raica Oliveira foi vista com o atacante. Ronaldo e Raica namoraram durante um ano, entre 2005 e 2006.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Desde 2008, Ronaldo mantém um relacionamento com Maria Beatriz Anthony, ou simpelsmente Bia. Eles tiveram uma filha, Maria Sophia, em dezembro do mesmo ano.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Polêmica

No dia 28 de abril de 2008, depois de uma festa na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, na qual comemorava uma vitória do Flamengo, Ronaldo passou pela orla da Barra, e chamou o travesti André Luiz Ribeiro Albertini, conhecido como Andréia Albertini, a quem levou para o motel Papillon. A eles se juntaram ainda outros dois travestis. Ainda no motel o travesti decidiu chantagear Ronaldo.

Ronaldo Nazário | Fenômeno

No fim do ano passado, o caso chegou aos tribunais. Andréia foi acusada formalmente por extorsão contra o jogador. Em 3 de outubro de 2008 o apartamento em que morava Albertini pegou fogo, morrendo um travesti que era sua colega de quarto. Adréia morreu no início de julho de 2009 devido a meningite.

Vida e Carreira de Ronaldo, o Fenômeno | Detalhes da carreira

Ronaldo Nazário | Fenômeno

Clubes profissionais
Cruzeiro (1993 a 1994), PSV Eindhoven-HOL (1994 a 1996), Barcelona (1996 a 1997), Inter de Milão (1997 a 2002), Real Madrid (2002 a 2007), Milan (2007 a 2008) e Corinthians (2009 a 2011)

Seleção Brasileira: 1994 a 2006

Principais títulos:

Cruzeiro
1993: Copa do Brasil
1994: Campeonato Mineiro

PSV Eindhoven
1996: Copa da Holanda (KNVB Beker)

Barcelona
1996: Troféu Joan Gamper
1996: Supercopa da Espanha
1997: Copa do Rei
1997: Recopa Europeia

Inter de Milão
1998: Copa da Uefa

Real Madrid
2002: Mundial Interclubes
2003: Supercopa da Espanha
2003: Campeonato Espanhol
2007: Campeonato Espanhol

Corinthians
2009: Campeonato Paulista
2009: Copa do Brasil

Seleção Brasileira:
1994: Copa do Mundo
1997: Copa América
1997: Copa das Confederações
1999: Copa América
2002: Copa do Mundo

Prêmios individuais
1993: artilheiro Supercopa da Libertadores (Cruzeiro)
1994: artilheiro Campeonato Mineiro (Cruzeiro)
1995: artilheiro do Campeonato Holandês (PSV Eindhoven)
1996: melhor jogador do mundo pela revista World Soccer (Barcelona/Seleção Brasileira)
1996: Melhor jogador do mundo (Barcelona/Seleção Brasileira)
1997: artilheiro do Campeonato Espanhol (Barcelona)
1997: Trofeo Bravo de jogador sub-21 da Europa (Guerin Sportivo) (Barcelona)
1997: Once de Oro (Inter de Milão)
1997: melhor jogador do mundo pela revista World Soccer (Inter de Milão/Seleção Brasileira)
1997: Bola de Ouro UEFA (France Football) (Inter de Milão)
1997: Melhor jogador do mundo FIFA (Inter de Milão/Seleção Brasileira)
1998: Melhor jogador do Campeonato Italiano (Inter de Milão)
1998: Estrangeiro do ano no Campeonato Italiano (Inter de Milão)
1998: Bola de Ouro FIFA (Copa do Mundo) (Seleção Brasileira)
1998: Trofeo Bravo de jogador sub-21 da Europa (Guerin Sportivo) (Inter de Milão)
1999: artilheiro da Copa América (Seleção Brasileira)
2002: Chuteira de Ouro (artilheiro da Copa do Mundo)
2002: Once de Oro (Real Madrid)
2002: melhor jogador do mundo pela revista World Soccer (Real Madrid/Seleção Brasileira)
2002: Bola de Ouro UEFA (France Football) (Real Madrid)
2002: Melhor jogador do mundo (Real Madrid/Seleção Brasileira)
2002: melhor jogador do Mundial de Clubes (Real Madrid)
2003: Laureus – categoria Retorno do Ano (Real Madrid/Seleção Brasileira)
2004: artilheiro do Campeonato Espanhol (Real Madrid)
2006: maior artilheiro da história das Copas do Mundo (Seleção Brasileira)
2006: Golden Foot (Real Madrid/Seleção Brasileira)
2009: melhor jogador do Campeonato Paulista (Corinthians)

Ronaldo Nazário | Fenômeno
+
+ +



Veja algumas das jogadas e gols espetaculares de Ronaldo, o Fenômeno:



CG: A bola perde um ídolo, mas a história ganha um mito. Ronaldo, o Fenômeno para sempre!

Gostou do Post?
Dê um CURTIR, COMPARTILHE e faça um COMENTÁRIO: