Muitas emoções na Fórmula 1

Um campeonato que parecia decretado, com Jenson Button levando o título fácil, fácil, passou a ter um pouco mais de emoção, graças à equipe Red Bull.

A partir do GP da Grã-Bretanha, começamos a assistir um importante declínio no rendimento da equipe Brawn e a ascensão da equipe Red Bull. Vettel venceu em Silveston e Mark Webber, após 130 corridas na Fórmula 1, venceu seu primeiro Grande Prêmio, na Alemanha – “casa” do seu companheiro de equipe.

Webber marcou a pole e em uma grande corrida teve, por fim, sua merecida recompensa. Vettel “escoltou” o companheiro na 2º posição e Felipe Massa chegou em terceiro, atestando a melhora do F60.

Aliás, não só de Red Bull e Brawn, se trata o campeonato. As equipes começam a apostar suas “últimas cartas” para progredir no campeonato. Mostra disso são McLaren, Ferrari, Williams e Renault. Inclusive, parte dessas equipes foram protagonistas no seguinte GP na Hungria.

Fernando Alonso, em uma classificação “histórica” – os computadores da FIA sofreram pane no final do treino classificatório e nem os próprios pilotos sabiam das suas posições até serem “alertados” por Bernie Ecclestone – marcou a pole-position para a equipe Renault.

Pole, que ao principio até tinha cara de vitória, se não fosse o “fantasma das porcas” aparecer novamente na equipe francesa, e com o mesmo piloto: uma “porca” mal apertada fez um dos pneus “voar” e acabar com a corrida do espanhol. Melhor para Hamilton e a McLaren, que em uma corrida sem erros, voltou a subir no lugar mais alto do pódio.

Com um 3º lugar na Hungria, Mark Webber passou Rubens Barrichello e Sebastian Vettel na classificação geral e se aproximou de Jenson Button.

Vimos também a demissão do francês Sebastian Bourdais, da equipe Toro Rosso, e a estréia do mais joven piloto da história da F1: o espanhol Jaime Alguersuari, de 19 anos.

Para o GP da Europa, que acontecerá no dia 23/08, a “coisa” promete: a Renault espera a decisão da FIA para saber se corre ou não em Valência, depois de ser punida pelo “caso do pneu”, na Hungria. Nelson Piquet já não é piloto da equipe francesa e Valência verá a estréia de mais um joven piloto: o francês Roman Grosjean.

E claro, a “cereja que faltava no bolo”: Michael Schumacher será o substituto de Felipe Massa até que o brasileiro se recupere do acidente na Hungria e sua re-estréia poderá ser no circuito urbano espanhol.

E aí? Já se convenceu de assistir o próximo GP?

Este post foi gentilmente escrito por Priscilla Bar do GUARD RAIL F1

[UPDATE 9h48]
Michael Schumacher desiste de retornar à F1. O piloto alemão explicou que a decisão se deve às dores no pescoço resultantes de um acidente com uma motocicleta em fevereiro deste ano.

Luca Badoer, piloto de testes da Ferrari, será o substituto de Massa. Luca é o primeiro piloto italiano a dirigir um carro da Ferrari em etapas do Mundial desde 1994. Naquele ano, Nicola Larini representou o time como piloto substituto do francês Jean Alesi.

Visite o SPEED RACER GO BRAZIL

DICA DO CRIATIVO: PRODUTOS RELACIONADOS À F1

Gostou do Post?
Dê um CURTIR, COMPARTILHE e faça um COMENTÁRIO: