Apartheid universitário

O atual governo defende com unhas e dentes o sistema de cotas para o ensino superior. Diz que é mais justo para aqueles que não tiveram e não tem acesso. Porém, muita gente acha errado destinar parte das vagas para um só grupo da população.

Com tanta confusão, um procurador da República entrou com uma ação para suspender a vigência do sistema de cotas racionais na UFSC sob os seguintes argumentos:

1) o sistema de cotas não está previsto em lei (o que, supostamente, seria necessári para que pudesse vigorar);
2) a autonomia universitária não dá às universidades o direito de legislar (e, portanto, de criar um sistema de cotas);
3) a Constituição estabelece igualdade de direito entre os cidadãos (de modo que não seria lícito tratar de forma diferenciada pessoas de diferentes etnias).

Sou da seguinte opinião:

1) o governo deveria garantir o acesso não só ao grupo étnico A, B ou C;
2) o governo deveria investir principalmente no ensino básico. É mais lógico e racional;
3) defendo o ensino para todos, independente da raça! Acorda, Brasil!!!

Gostou do Post?
Dê um CURTIR, COMPARTILHE e faça um COMENTÁRIO: